4 Dietas para emagrecer sem sofrer

4.7 (93.79%) 29 votes

4 Dietas para emagrecer sem sofrer
Sem dúvida, querer emagrecer ou estar no peso ideal, vai muito além da preocupação estética, já que o sobrepeso, comprovadamente, pode causar muito problemas de saúde.  A obesidade deve ser uma preocupação sim, principalmente, por estar relacionada a diversos tipos de câncer, a problemas ortopédicos, a varizes de membros inferiores e, em especial, com o desenvolvimento de diabetes do adulto (tipo 2) e com hipertensão arterial ou pressão alta, isso tudo sem falar nos problemas de autoestima.

Por tudo isso, e mais os fatores estéticos, emagrecer vem se tornando quase que uma obsessão pela grande maioria das mulheres.

O fato é que querer emagrecer não é pecado, principalmente,  quando perder peso e gordura é uma questão de necessidade, de saúde, o problema é quando se apela para dietas muito radicais ou nada saudáveis.

É importante ter em mente que o emagrecimento deve acontecer de forma gradual, sem a necessidade de restrição alimentar, na verdade, a dieta deve ser inserida na sua rotina, com opções fáceis de serem seguidas e mantidas.

Para conseguir ter sucesso em sua busca pelo peso ideal, é preciso entender suas necessidades, limitações, metas, intolerâncias e, a partir daí, organizar um plano alimentar de acordo com isso tudo e sua rotina.

Acha complicado? Não é, não! Então, para ajudar você a escolher a dieta ideal, aquela que emagrece com saúde, sem sofrimentos, sem ter que ficar horas a fio sem comer, mostramos abaixo as quatro dietas para emagrecer sem sacrificar sua saúde.

Se interessou? Então, papel e caneta na mão, anote direitinho!

Dieta paleolítica

Dieta paleolítica
Bem, vamos começar por ela, a tão proclamada Dieta Paleolítica. Nessa dieta, a ideia é comer o que as pessoas eram capazes de caçar ou coletar no período paleolítico, ou seja, muitas verduras, legumes, grãos, raízes, carnes, frutos do mar e nozes.

Vale ter em mente que essa dieta é ideal para aquelas mulheres que conseguem fazer suas refeições em casa, ou mesmo, levar sua comida e lanches para o trabalho em uma marmita.

Nessa dieta são cortados alimentos como farinhas refinadas, pães, massas, leite animal e derivados, açúcar, doces, refrigerantes, óleos, fritura, alimentos processados ou industrializados e bebidas alcoólicas.

Cardápio

Café da manhã:  mandioca ou batata-doce cozida ou tapioca recheada com frutas acompanhada por chá, café ou leite vegetal e frutas.

Almoço e jantar: saladas de folhas, legumes e verduras (cozidos, refogados ou assados à vontade), tubérculos e carnes magras grelhadas, assadas, cozidas ou ensopadas são as melhores pedidas.

Bateu fome? Então, nos horários intermediários tenha à mão frutas, castanhas, legumes e verduras, além de leite vegetal batido com frutas.

Dieta mediterrânea

Dieta mediterrânea
A Dieta mediterrânea tem como grande vantagem a possibilidade de incluir no cardápio muitos sabores e grupos alimentares a cada refeição. Ela é rica em gorduras boas (azeite, castanhas, azeitonas e abacates), frutas, verduras, peixes, feijões, cereais integrais e ovos. Nessa dieta também devem ser cortados açúcar, doces, refrigerantes e farinhas refinadas.

Cardápio

Café da manhã: pode ter pão com sementes ou integral, café com leite sem açúcar e frutas.

Almoço e jantar: saladas de folhas, verduras e legumes, arroz ou purê de mandioca ou batata-doce ou macarrão integral, feijões ou lentilhas e carne grelhada (bovina, suína, de peixe ou de aves).

Lanches da manhã, da tarde e da noite: frutas com iogurte, um tubérculo (mandioquinha, mandioca, batata-doce, inhame) assado com queijo, torradas integrais com geleias de frutas naturais, chá sem açúcar, frutas e castanhas.

Leia aqui também:Sibutramina ou Quitoplan? Compare, como funciona, onde comprar?

Dieta detox

dieta detox
Como o próprio nome sugere, mais do que emagrecer mesmo, essa dieta tem como principal objetivo fazer uma limpeza no organismo e, a partir daí, iniciar uma mudança de hábitos alimentares que vão melhorar o funcionamento do intestino, dos rins e do fígado. Essa dieta é muito aconselhável para aquelas mulheres que estão cansadas de sofrer com o efeito sanfona das dietas restritivas.

Essa dieta deixa de fora as bebidas alcoólicas, gordura trans, cafeína, sal em excesso, margarina, manteiga, refrigerantes, adoçantes, produtos industrializados e farinhas refinadas. Por outro lado, prioriza o consumo de muito líquido, em especial os chás.

Cardápio

Café da manhã: iogurte natural (com o mínimo de ingredientes possível ou de fermentação natural) ou leite sem açúcar, cereais integrais (granola, flocos de arroz sem açúcar, aveia, farinha de linhaça ou chia) e frutas.

Lanche da manhã: um chá digestivo (de alecrim, boldo, hortelã ou gengibre) acompanhado de castanhas e nozes.

Almoço e jantar: Salada de folhas à vontade, legumes refogados ou cozidos, arroz ou purê (de mandioca ou de batata) ou macarrão, feijões ou lentilha e carne magra.

Lanche da tarde:  um chá e frutas com canela (abacate é uma ótima ideia) ou tapioca.

Antes de dormir: um chá tranquilizante (de camomila, capim-limão, maracujá ou mulungu).

Leia também:Perca 5 kg em uma semana com a Dieta Japonesa – Emagrecer, cardápio, dicas

Dieta lowcarb

dieta low carb
Embora para muitos a Dieta Lowcarb seja considerada um pouco puxada, já que os carboidratos são praticamente eliminados do cardápio diário (ficam só massas, arroz e batata), porém, isso é fundamental para quem está com alteração na glicemia e na insulina.

Na dieta Lowcarb também ficam de fora as bebidas alcoólicas, gordura trans, sal em excesso, refrigerantes, farinhas refinadas, açúcar e doces, além da maior parte dos carboidratos.

Leia aqui também:Obesidade colapsará o sistema de saúde

Cardápio:

Café da manhã: Não vive sem o pãozinho? Hum…então, talvez essa dieta não seja para você, porque será preciso eliminá-lo de vez e em seu lugar colocar  ovos mexidos com tomate e queijo branco e um chá para acompanhar. Ou, trocar tudo isso por um bom shake caseiro de frutas, leite magro, aveia ou farinha de linhaça, nozes, leite de coco e canela.

Almoço e jantar: salada de folhas à vontade, legumes refogados ou cozidos, meia porção de carboidrato, feijões e carne magra grelhada, assada, cozinha ou ensopada.

Obs: No jantar, tire a meia porção de carboidratos.

Lanches: devem ser bem leves, com chás e sucos, castanhas, frutas e iogurtes.

E então, gostou das sugestões de dietas? Mas, lembre-se que o ideal, certamente, é consultar um nutricionista para definir as quantidades necessárias de cada alimento em cada refeição, para o seu corpo continuar funcionando legal enquanto a dieta estiver sendo seguida e, após chegar ao peso ideal, então, investir em uma alimentação equilibrada e o mais natural possível para que não tenha mais que investir em dietas.

Leave a Reply